Benefícios da Glutamina na Imunidade e Atividade Física

A glutamina pode ser produzida pelo organismo e é o aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular. Apesar disso, é considerada “condicionalmente essencial” porque, no caso do aumento de sua demanda nos tecidos, ocorre redução importante dos seus níveis no sangue.

linha-DYN-glutasComo possui inúmeras funções no organismo, sua carência pode acarretar prejuízos para saúde, haja vista sua influência funcional e em vias de sinalização celular – modulação da expressão de genes relacionados com a síntese e degradação de proteínas, a proliferação celular e a ativação de vias envolvidas com a apoptose (morte celular programada), proteção de células do epitélio intestinal (enterócitos) contra lesões do tipo oxidativo.

Um dos principais benefícios da glutamina está associado à sua influência no sistema imune. As células de defesa respondem rapidamente a qualquer alteração do organismo, mas para isso necessitam de glutamina. Esse fator tem uma ligação direta com a prática regular e intensa de atividade física, que é um dos mecanismos de depleção das reservas de glutamina. Isso pode acarretar uma depressão do sistema.

A suplementação, portanto, pode contribuir para a imunocompetência dos praticantes de exercício físico, por meio do fornecimento de substratos para as células de defesa, o que diminui a incidência de infecções.

A diminuição da imunocompetência pode acometer, principalmente, infecções do trato respiratório superior, tais como otite média, sinusite, amigdalite e faringite.

O consumo de glutamina pelas células de defesa (macrófagos, neutrófilos e linfócitos) está atrelado ao estímulo e proliferação destas células imunológicas, mantendo assim a imunocompetência.

Estudos demonstraram que o consumo de glutamina por praticantes tanto de exercício físico intenso quanto prolongado, mostrou aumentar a concentração plasmática deste aminoácido, criando assim melhor oferta aos tecidos, prevenindo a queda das taxas de glutamina e minimizando efeitos negativos à imunocompetência.


REFERÊNCIAS:

PEIXOTO, A. R. B.; CAMPOS, M. B.; ALVES, M. M.; CARVALHO, N. D. M.; ALBUQUERQUE, I. Z.; BRASIL, A. R. C.; CARVALHO, A. P. P. F. Glutamine effect in gastrointestinal symptoms and dietary intake of chemotherapy hematological patients. Revista de Pesquisa em Saúde, v. 16, n. 3, p. 159-165, 2015.
MARTINS, P. Glutamine in critically ill patients: is it a fundamental nutritional supplement? Revista Brasileira de Terapia Intensiva.; v. 28, n. 2, p. 100-103, 2016.
WISE, D. R.; THOMPSON, C. B. Glutamine Addiction: A New Therapeutic Target in Cancer. National Institutes of Health. V, 35, n. 8, p. 427-433, 2010.
BOLIGON, C. S.; HUTH, A. O Impacto do Uso de Glutamina em Pacientes com Tumores de Cabeça e Pescoço em Tratamento Radioterápico e Quimioterápico. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 57, n. 1, p. 31-38, 2011.
CRUZAT, V. F.; PETRY, E. R.; TIRAPEGUI, J. Glutamina: Aspectos Bioquimicos, Metabolicos, Moleculares e Suplementação. Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. V. 15, N. 5, p. 392-397, 2009.
ABRAHÃO, S. A. B.; MACHADO, E. C. Suplementação de glutamina no tratamento de pacientes com câncer: uma revisão bibliográfica. estudos, Goiânia, v. 41, n. 2, p. 215-222, 2014.
ZHANG, S.; HAN, Y.; KUMAR, A.; GAO, H.; LIU, Z.; HU, N. Characterization of an L-phosphinothricin resistant glutamine synthetase from Exiguobacterium sp. and its improvement. Appl Microbiol Biotechnol, 2016.
GANGULY, A.; THIEL, W.; CRANE, B. R. Glutamine Amide Flip Elicits Long Distance Allosteric Responses in the LOV Protein Vivid. Journal of the American Chemical Society, 2017.
BROWN, A.; ROBINS, K. J.; ACKERLEY, D. F. A sensitive single-enzyme assay system using the non-ribosomal peptide synthetase BpsA for measurement of L-glutamine in biological samples. Scientific Reports, 2017.
Nguyen, H. A.; Durden, D. L.; Lavie A. The differential ability of asparagine and glutamine in promoting the closed/active enzyme conformation rationalizes the Wolinella succinogenes L-asparaginase substrate specificity. Scientific Reports, 2017.
KREMER, J. C.; PRUDNER, B. C.; LANGE, S. E. S.; MICHEL, L. S.; HELD, J. M.; TINE, B. A. V. Arginine Deprivation Inhibits the Warburg Effect and Upregulates Glutamine Anaplerosis and Serine Biosynthesis in ASS1-Deficient Cancers. Cell Reports, v. 18, n. 24, p. 991-1004.
NOLETO, P. G.; SAUT, J. P. E.; SHELDON, M. Short communication: Glutamine modulates inflammatory responses to lipopolysaccharide in ex vivo bovine endometrium. v. 100, n. 3, p. 1-7, 2017.
ALDARINI, N.; ALHASAWI, A. A.; THOMAS, S. C.; APPANNA, V. D. The role of glutamine synthetase in energy production and glutamine metabolism during oxidative stress. Cross Mark, 2017.
GARIB, R.; GARLA, P.; TORRINHAS, R. S.; MORETTI, A. I. S.; MACHADO, M. C. C.; WAITZBERG, D. L. Effect of Previous High Glutamine Infusion on Inflammatory Mediators and Mortality in an Acute Pancreatitis Model. Hindawi, 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *